Tempurá de Camarão

 

  Ingredientes
12 camarões médios frescos e inteiros
2 xícaras de farinha para tempurá
1 e 3/4 xícaras de água
Sal, pimenta do reino moída e glutamato monossódico.
1/2 xícara de farinha de trigo
1 garrafa de óleo de milho

Modo de Preparo:
- Retire as cabeças dos camarões, descasque-os e
 mantenha os rabos.
- Tempere-os com sal, pimenta do reino moída e
glutamato monossódico. Reserve-os.
- Uma tigela, misture a farinha de tempurá e a água ligeiramente.
- Passe os camarões na farinha de trigo e depois
na mistura da farinha de tempurá.
- Mergulhe em óleo quente (180º) e deixe dourar.
- Retire-os do óleo e escorra em uma grelha ou papel absorvente.
- Sirva quente acompanhado com molho tradicional para tempurá.

Receita do molho:
1 xícara de água
2 colher de sopa de shoyu
1 colher de sopa de sakê mirim
1 colher de café de hondashi
1 colher de café de gengibre ralado e
1 colher de sopa de nabo ralado
- Misture a água, o shoyu, o sakê e o hondashi
e aqueça, sem ferver. Adicione o gengibre e o nabo.
Cebolinha a gosto é opcional.

 

 

DICAS E TRUQUES DO
CHEF TARÓ MATSUMOTO

     
      - Escolha uma panela para fritar pequena,
        porém mais funda. Pelo menos uns 7 cm de altura;

      - Prefira óleo de milho ou canola, são mais
        suaves. Se não tiver, faça com óleo de soja. Mas nunca
        utilize óleo já usado para fazer tempurá.

      - Para o camarão não dobrar na fritura, depois de
        descascá-los, pressione levemente as juntas, até sentir
        um pequeno "truc".

      - Só prepare a massa na hora de utilizá-la, depois
        descarte o que sobrou, não guarde para usar depois;

      - Para verificar a temperatura do óleo, respingue um 
        pouco da massa no óleo, se ela subir rapidamente,
        a temperatura já está boa;

      - O tempurá é uma fritura que deve ser crocante por
        fora e macia por dentro, levemente dourada, por isso,
        não deixe tempo demais no óleo, para não secar ou
        queimar demais;

      - O molho tradicional é pouco utilizado no nordeste do
        Brasil. Por isso muitas vezes os restaurantes utilizam
        um molho aquecido a base de molho pronto para
        sunomono, shoyu e cebolinha.